Cadastrar
Esqueci minha senha
Usuário: Senha:
Logar
Você pode utilizar nossa busca por palavra chave ou utilizar os critérios ao lado para obter uma listagem.

Buscar
Buscar
Selecione o Estado Categoria


GASTRONOMIAHOSPEDAGEMINFORMAÇÕES ÚTEIS
Selecione a Cidade Sub-Categoria


Destaques


Newsletter





Dia da emancipação de Barra Mansa - Rio de Janeiro
Barra Mansa é um município brasileiro situado no sul do estado do Rio de Janeiro.

Fica na microrregião do Vale do Paraíba dentro da mesorregião do Sul Fluminense. Localiza-se a uma latitude 22º3239 sul, longitude 44º1017 oeste e altitude de 381 metros. Sua população estimada em 2013 era de 179.472 habitantes, formando uma conurbação com as cidades de Volta Redonda e Pinheiral com uma população de mais de 450 mil habitantes. Possui uma área de 548,9 km².

O centro administrativo e legislativo fica no bairro Centro. Nele estão localizados a prefeitura e a câmara municipal. O centro judiciário é o bairro Barbará, onde está situado o fórum municipal.

Em 1954 o distrito de Volta Redonda emancipou-se e, em 1991, foi a vez de Quatis, levando consigo os distritos de Ribeirão de São Joaquim e Falcão. Em 1993 Antônio Rocha foi elevado a condição de distrito, assim como o bairro Santa Rita de Cássia, em 2006.

A população de Barra Mansa é composta por descendentes de imigrantes europeus (principalmente portugueses, italianos, e espanhóis), mas também de franceses e alemães, além de uma dinâmica colônia sírio-libanesa, assim como também de ameríndios e de escravos africanos.

O município apresenta a segunda maior população da mesorregião Sul Fluminense, possui mais de 528 unidades industriais, um grande entroncamento ferroviário, rodoviário e fluvial. Situa-se em uma região privilegiada, próxima às duas maiores metrópoles brasileiras: Rio de Janeiro e São Paulo. Está próximo também a centros econômicos regionais como São José dos Campos, Juiz de Fora e Volta Redonda. Barra Mansa exibe uma renda per capita acima da média nacional, de R$ 13.956,15[5], e possui um Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) considerado elevado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento - PNUD, de 0,806 (ano 2000). É sexta no ranking de melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M) entre os municípios fluminenses.

Barra Mansa possui um forte e tradicional centro comercial, vital para a economia do município.

Entre os principais monumentos do município estão: Fazenda da Posse, Prefeitura, Palácio Barão de Guapi, Parque Centenário e Ponte dos Arcos - principal cartão-postal da cidade que ganhou em 2014 destaque no centro, com a reprodução de seu desenho nas calçadas da Avenida Joaquim Leite e arredores.

Os quatro principais rios que cortam Barra Mansa são: Paraíba do Sul, Barra Mansa, Bananal e Bocaina.


Lazer[editar | editar código-fonte]

Vista da Praça da Liberdade, no centro da cidade.
O bairro do município onde há mais opções de lazer para a população é o bairro Ano Bom, que possui uma série de bares frequentados pelos moradores dos bairros adjacentes. Há também um grande número de bares no entorno da UBM, frequentados principalmente por universitários.

Aos domingos, é promovida uma extensa programação cultural no entorno do Parque Centenário, onde apresentam-se bandas, fanfarras e corais, complementados por feiras de artesanato e atividades infantis.

Durante o ano, são realizados diversos eventos no município, a destacar:

Exposição Agropecuária de Barra Mansa
Feira da Esperança, em prol da APAE local
Festejos do aniversário do município, com desfile cívico-cênico (espetáculo de teatro de rua itinerante: Nasce Uma Cidade) e outras atividades.
Festa do Trabalhador, No bairro Vista Alegre
Eventos Pré-Natalinos
Conforme citado em tópicos anteriores, há também o Carnaval e as festas de São Sebastião e Santo Antônio. Existem outras festas menores de santos padroeiros pelos bairros e distritos, além de feiras da roça e torneios agropecuários.


Turismo

O Palácio Barão de Guapi, hoje, é sede da Biblioteca Municipal e seu jardim se transformou no Parque Centenário, denominado também como Jardim das Preguiças devido à abundância do mamífero conhecido como bicho-preguiça em suas árvores.


O Parque Centenário, ou Jardim das Preguiças como é conhecido devido à abundância do bicho-preguiça em suas árvores fica encravado no centro da cidade, é o maior parque urbano do município, recebe vários turistas assim como moradores próximos para descanso.
Fazenda Bocaina - localizada na Estrada Barra Mansa / Bananal, possui arquitetura rural do século XIX. Apresenta um estado de conservação muito bom e um portão de acesso ao jardim, cujo trabalho de serralheria merece destaque.
Fazenda Santo Antônio - construída no início do século XIX, apresenta planta e fachada bem características das fazendas de café. Encontra-se em precário estado de conservação e precisa de obras urgentes de recuperação.
Fazenda da Posse (em inglês) - a primeira construção erguida em Barra Mansa data de 1764. Trata-se de um casarão em estilo colonial, totalmente restaurado, um marco do surgimento do município. Atualmente, funciona como Centro Cultural, abrigando cursos e exposições de arte.
Fazenda Criciúma - a Fazenda foi construída em 1872, pelo fazendeiro de café e empresário, com atividades comerciais na França, Manoel Gomes de Carvalho (Barão do Rio Negro). Criciúma foi uma das mais importantes produtoras de café da região. Ao longo dos anos, a construção histórica sofreu pequenas modificações, mantendo algumas linhas arquitetônicas que lembram o Palácio Rio Negro de Petrópolis.
Fazenda SantAna do Turvo - construída em 1826, por Joaquim Manuel de Carvalho (primeiro Barão de Amparo), foi a maior produtora de café na região. Na época, ocupando uma área de 700 alqueires e possuindo 250 escravos, chegou a produzir, anualmente, 180 mil arrobas de café. Em bom estado de conservação, é um dos bons exemplos da arquitetura rural do século XIX, contando com 12 quartos, três salões e outras dependências. Localiza-se no limite com o distrito de Nossa Senhora do Amparo, o que faz com que seja considerada parte daquele distrito.
Fazenda Rochinha - cuidadosamente restaurada, mantém as características da arquitetura do final do século XVIII, quando o chamado estilo colonial marcava as construções rurais. Desde 1902, destaca-se pela excelência de sua cachaça artesanal, ROCHINHA, comercializada em todo o Brasil e com adiantados projetos de exportação.
Fazenda São Lucas Brandão - pertenceu inicialmente ao comendador Lucas Antônio Monteiro de Barros, benfeitor do município que deu início à construção da Câmara Municipal de Barra Mansa. Durante o ciclo do café, destacou-se como uma das principais produtoras da região. Sua sede data do final do século XIX, encontrando-se em bom estado de conservação.
Hotel Fazenda Sertãozinho - oferece suítes, café da manhã, salão de jogos, piscina, sauna, quadras de vôlei e campos de futebol, pesque-pague, passeios a cavalo e caminhadas, comidas típicas caseiras e instalações para festas de confraternização. O acesso é mais fácil pelo Distrito de Rialto.
Fazenda Ribeirão Claro - foi construída em 1845, por João Crisóstomo de Vargas, no melhor estilo da época. Um imponente solar mantém o traçado e mobiliário originais, conservando sua autenticidade pelas gerações seguintes.
Artesanato Stella Carvalho - construído pela Associação das Damas de Caridade de Amparo, em 1981. Entre seus objetivos estão o incentivo às habilidades artesanais e a facilitação do acesso ao mercado de vendas, cujos resultados revertem para as artesãs, como uma espécie de cooperativa. O projeto foi do Engenheiro Luiz Roberto Correia Reche e mostra uma fachada com esquadria em estilo colonial, mantendo o clima do cenário histórico de Amparo. As colchas de retalhos produzidas pelo artesanato são famosas, conhecidas inclusive em outros países, tornando-se um referencial de Amparo.


Fonte: Wikipédia


Selos

Turismo Agora - informações turisticas pelo fone: (53) 3228-3819.
Tire suas dúvidas rapidamente com nosso atendimento online 24 horas por dia.

Termos e condições de uso

Copyright © 2008 TRACKDATA